quinta-feira, 3 de maio de 2018

"Hemo"... o quê??




Talvez você já tenha ouvido falar do exame de hemoglobina glicada (HbA1C). Mas o que é e para que serve?
Para começar, lembremos dos tempos de escola. Hemoglobina é uma proteína presente nas hemácias (glóbulos vermelhos) que se liga ao oxigênio para transportá-lo através do sangue por todo o corpo. A hemoglobina glicada é o resultado da ligação da hemoglobina com a glicose (açúcar) presente no sangue, por meio de um processo chamado glicação. Quanto mais açúcar na circulação sanguínea, maior a formação de hemoglobina glicada. O resultado do exame de HbA1C é dado em percentual, ou seja, qual a porcentagem das hemoglobinas do sangue que sofreram glicação.
Ao contrário do exame de glicemia de jejum ou dos testes feitos com o glicosímetro, que refletem o nível de açúcar no sangue naquele exato momento (como uma fotografia), a hemoglobina glicada mostra os níveis glicêmicos dos 3 a 4 meses anteriores (tempo de “vida” da hemoglobina). Ou seja, é como um vídeo do que aconteceu com a glicemia no período.
A HbA1c é um dos instrumentos mais importantes para a identificação dos níveis de glicemia e, portanto, é utilizada tanto como critério de diagnóstico como avaliação de controle de pacientes já diagnosticados. Quanto maior a hemoglobina glicada, maior o risco de desenvolvimento das complicações do diabetes, como problemas nos rins, retina, nervos e sistema cardiovascular.
Até a década passada, a hemoglobina glicada era utilizada apenas como seguimento das pessoas com diabetes. Era – e continua sendo – um parâmetro de controle e preditor de complicações crônicas.
Em 2010, o exame passou a ser utilizado também como diagnóstico. Nesse caso, os critérios recomendados pela ADA (American Heart Association) e pela SBD (Sociedade Brasileira de Diabetes) são:




                      Atenção: o exame deve ser repetido para confirmação do diagnóstico.

Quando a hemoglobina glicada é usada como parâmetro de controle das pessoas já diagnosticadas, a conversa é outra. A meta de controle de quem tem diabetes é manter a HbA1c menor do que 7%. Na tabela abaixo, você pode conferir qual a média de glicemia estimada no resultado da hamoglobina glicada.



Lembrando que, no Brasil, quase 75% das pessoas com diabetes tipo 2 têm hemoglobina glicada maior do que 7%.
Para a realização do exame de HbA1C, não é necessário jejum e a coleta pode ser feita em qualquer horário do dia. Segundo as diretrizes da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD), pessoas com diabetes devem realizar o exame de hemoglobina glicada a cada 6 meses se o controle estiver bom. A frequência deve ser trimestral para períodos de mudança de terapia ou casos de glicemia descontrolada.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Nova insulina no mercado. E eu com isso?

Chegou recentemente ao mercado brasileiro a insulina FIASP ( Fast-Acting Insulina Aspart ), do laboratório Novo Nordisk. Trata-se de uma i...